Especial Covid-19MercadoModelo AOT da Opersan é indicado para empresas que buscam uma alternativa para alavancagem financeira

Modalidade de transferência de sistemas de tratamento de águas e efluentes é alternativa para a captação de recursos financeiros na crise

Modalidade de transferência de sistemas de tratamento de águas e efluentes é alternativa para a captação de recursos financeiros na crise

A opção proporciona outras vantagens, como otimizar custos operacionais e manter o foco de recursos na atividade principal da empresa

Diogo Taranto, diretor de Desenvolvimento de Negócios do Grupo Opersan

 

Tendo em vista suas obrigações legais e ambientais, muitas indústrias e empreendimentos comerciais optam por investirem, construírem e operarem os próprios sistemas de tratamento de águas e efluentes.

Em meio a crise global causada pela Covid-19, muitas companhias precisaram diminuir o ritmo das atividades, afetando diretamente seus fluxos de caixa. Para o processo de retomada, essas empresas precisarão estar totalmente focadas em seus negócios e uma solução poder ser a transformação de um ativo non-core, cuja relação não está diretamente ligada à atividade principal, em uma fonte de receita com a transferência de suas responsabilidades operacionais e ambientais para uma empresa com autoridade no assunto.

De acordo com Diogo Taranto, diretor de Desenvolvimento de Negócios do Grupo Opersan, o modelo de negócios denonimado AOT (Acquire, Operate and Transfer) se encaixa perfeitamente neste cenário, pois, diferente de outras modalidades de negócio on-site, o Grupo Opersan adquire um sistema de tratamento existente com investimentos adicionais em reformas e adequações, se necessário, presta serviços de operação e manutenção durante o prazo contratual, e, ao final, transfere novamente o ativo ao cliente. “O modelo AOT é indicado para empresas que buscam uma alternativa para alavancagem financeira, e pensam em focar na melhoria de sua produtividade e crescimento específico de seus negócios, deixando que uma empresa como a Opersan seja responsável pela gestão integral de operação e manutenção dos sistemas de tratamento de águas e efluentes”, explica Taranto.

Além da captação financeira que a venda do ativo possibilita, o executivo cita outros cinco importantes benefícios no modelo AOT.

  • Manter o foco de recursos, seja ele humano ou capital, na atividade principal da empresa;
  • Otimizar os custos operacionais;
  • Ter maior previsibilidade orçamentária;
  • Transferir a responsabilidade de investimentos futuros para a prestadora de serviço;
  • Transferir a responsabilidade de riscos operacionais e ambientais.

“O prazo do contrato é definido caso a caso, conforme acordo comercial. Durante este período, a Opersan fatura mensalmente uma demanda mínima pelos serviços prestados de acordo com o volume de tratamento de água e/ou de efluentes. Ainda durante o período contratual, a Opersan fica responsável por todos reinvestimentos, fornecimentos de equipamentos e materiais relacionados e, ao final, transfere novamente a posse dos ativos ao cliente”, explica. “Esse é um modelo de negócio em que ganha tanto o fornecedor como o cliente”, finaliza Taranto.

logo_opersan - png.png

B8 Comunicação e Editora

A B8 Comunicação desenvolve projetos editoriais completos, desde a concepção até a publicação. Nosso trabalho envolve a criação de projetos gráficos, coordenação de pautas, reportagens, entrevistas, produção e edição de textos, serviços fotográficos, edição de imagens, diagramação, editoração eletrônica, pré-impressão e comercialização de espaços publicitários.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *