Especial Covid-196 Dicas rápidas para a saúde financeira em tempos de crise

Cuidar das finanças de sua empresa deve ser prioridade para evitar falta de recursos num futuro próximo Autor: Da Redação A situação não está fácil para ninguém, e principalmente, para as empresas que precisam sustentar sua folha de pagamento, rever contratos, analisar contas, etc, etc… Então, primeiro de tudo, é preciso parar, respirar fundo, analisar e tomar as decisões com o pé chão. A palavra de ordem deve ser proteger o caixa. Qualquer atitude errada...

Cuidar das finanças de sua empresa deve ser prioridade para evitar falta de recursos num futuro próximo

Autor: Da Redação

A situação não está fácil para ninguém, e principalmente, para as empresas que precisam sustentar sua folha de pagamento, rever contratos, analisar contas, etc, etc… Então, primeiro de tudo, é preciso parar, respirar fundo, analisar e tomar as decisões com o pé chão. A palavra de ordem deve ser proteger o caixa. Qualquer atitude errada pode ter um custo muito alto num futuro que talvez não esteja tão distante assim.

Para tentar aliviar o sufoco das pequenas e médias empresas, o governo começa a liberar linha de crédito – estimada em R$ 40 bilhões – através do Programa Emergencial de Suporte a Empregos (PESE). A maior parte do recurso, ou seja, R$ 34 bilhões, virá do Tesouro Nacional via BNDES e o restante será aportado pelos próprios bancos privados. O objetivo do governo é beneficiar empresas com receita bruta anual de R$ 360 mil a R$ 10 milhões e atingir em torno 1,4 milhão de firmas. Vale lembrar que o empréstimo é destinado somente à folha de pagamento dos funcionários, outras despesas não estão inclusas.

Atenção dos empreendedores

É preciso ter cautela e pensar muito antes de tomar qualquer atitude. Antes de solicitar a linha de crédito, refaça todas suas contas fixas (aluguel, folha de pagamento, conta de luz, telefone, etc.) e variáveis para verificar a real necessidade deste empréstimo. “Crédito é como uma bola de neve, a cada dia a conta vai aumentando. Se não souber analisar e colocar na ponta do lápis, num futuro muito próximo, pode virar um rombo e uma baita dor de cabeça. O empréstimo pode ‘tirar’ as empresas do sufoco imediato, mas se não tiverem condições de pagar as parcelas de empréstimo, a situação poderá se deteriorar”, ressalta o executivo de finanças da Innovativa Executivos Associados, Roberto Lobos.

É aquela velha história…”Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”. É preciso calcular o quanto a empresa precisará vender e/ou produzir a mais para pagar esta dívida.

Hoje, a palavra que está mais em evidência se chama negociar, negociar e negociar. “Renegocie dívidas antes que elas apareçam. Ligue nas prestadoras de serviços, como concessionárias de luz, água, telefone, internet e outras para reduzir seus custos. Corte ao máximo os custos, para preservar o caixa da companhia”, comenta Lobos.

Pós-Covid 19 – Reinvenção

Além da parte financeira, as empresas precisam pensar em como se reinventar para pós- Covid-19.

1- O mercado de e-commerce está conseguindo dar uma sobrevida a alguns segmentos de negócio. Pesquise como seu negócio pode se encaixar neste sistema, observe a concorrência e outros setores da economia. Existem várias plataformas prontas. Podem ser necessárias algumas adaptações aos processos de venda da empresa, mas será um novo canal de vendas a ser desenvolvido.

2- Manter o cliente é o maior desafio. Estenda sua mão para auxiliá-lo e fortaleça a reputação da imagem de sua empresa e de seus produtos. Entenda o momento de cada cliente. Muitas cadeias produtivas estão paralisadas pelo momento atual. Identifique alternativas que possam ser exploradas para manter o seu negócio ativo. Considere ajustar os produtos e serviços se perceber a oportunidade de incremento ou manutenção do negócio.

3- Rentabilidade. Margem é importante, mas liquidez num momento como este é fundamental. Priorize geração de caixa à rentabilidade.

4- Manter seu valor de mercado. É nesta hora que o valor do produto e/ou serviço de um negócio é testado. Alguns segmentos terão que esperar, outros acelerar ou se modificar para se adaptar a esta nova realidade. Como exemplo, imagine o setor de entretenimento, de cinemas, hotéis e resorts. Numa situação desta, que equivale a uma situação de guerra, todos os segmentos da economia precisam rever minuciosamente como lidar com o contexto. É importante medir o nível de ‘oxigênio’ que será necessário para chegar até o final, se adaptar na medida do possível para garantir a sobrevivência e seu valor de mercado.

5- Boa gestão financeira de uma empresa (pequena e média empresa) engloba. A boa gestão financeira numa situação de crise aguda, onde o faturamento desaparece ou diminui drasticamente, envolve prioritariamente a preservação do caixa. Para cada caso, levantar todos os direitos, ou seja, os recebimentos e analisar os riscos de não entrarem no caixa efetivamente. Por outro lado, as obrigações devem ser negociadas de forma a não inviabilizarem a sobrevivência da empresa. Prioridades devem ser analisadas.

Simulações ajudam a identificar qual estratégia pode ser mais eficaz. Rever e questionar todos os itens de despesas e créditos antigos não recebidos. A partir destes cenários, é possível elaborar uma estratégia para priorizar o que vai viabilizar a continuidade do negócio. Simulações de estresse de caixa também ajudam a antecipar eventuais problemas que deverão surgir pelo caminho. O que vale aqui é o conhecimento do negócio, sua dinâmica, os pontos que podem paralisá-lo ou fazer perder capacidade de se manter ativo.

6- Erros mais comuns cometidos pelos empresários. O grande erro, pode-se dizer que com raras exceções, é não preservar o caixa. Existe uma velha máxima que diz: “Prejuízo não mata uma empresa, falta de caixa, sim”. Portanto atenção especial como lidar com o capital de giro. Avalie minuciosamente a carteira de recebimentos, considere oferecer descontos para antecipar recebimento (melhor do que correr atrás dos valores atrasados). Questione imobilização de capital sobre estoques diretos e indiretos. Analise as despesas operacionais e não operacionais. Negocie melhores prazos e até parcelamento com os fornecedores. Verifique quais contas a pagar são prioridade para o momento atual. E lembre-se, estamos vivendo uma realidade inusitada, com pouco domínio de como interagir com o mercado nos moldes tradicionais, e sem garantia de que as adaptações e inovações serão bem-sucedidas.

B8 Comunicação e Editora

A B8 Comunicação desenvolve projetos editoriais completos, desde a concepção até a publicação. Nosso trabalho envolve a criação de projetos gráficos, coordenação de pautas, reportagens, entrevistas, produção e edição de textos, serviços fotográficos, edição de imagens, diagramação, editoração eletrônica, pré-impressão e comercialização de espaços publicitários.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

SOMOS PROFISSIONAIS DIGITAIS CERTIFICADOS:

B8 Comunicação

Alavanque seus negócios com as soluções de divulgação da B8 Comunicação. São diversas possibilidades e formatos que se encaixam na sua necessidade de marketing.

BANCO DE IMAGENS: Freepik.com

Newsletter

Receba as Principais Informações do
Setor de Tratamentos de Superfície

Clique no botão abaixo e preencha os dados para receber a Newsletter da B8 comunicação

B8 Comunicação, 2018 © Todos os direitos reservados.